JOSE MESQUITA NEVES

Nasceu em Boa Esperança no dia 1º de dezembro de 1903

Dr. José Mesquita Neves exerceu vários cargos públicos em nossa cidade, inclusive e especialmente em nossa Santa Casa, onde desempenhou, com o máximo de eficiência e dedicação, essa nobre missão de curar os enfermos. Dr. Gigico, como era conhecido, foi uma pessoa que sempre deu tudo de si em prol dos menos favorecidos e dos sofredores, como sua esposa, Dona Marinha.

Dr. Mesquita nasceu em Boa Esperança no dia 1º de dezembro de 1903, diplomou-se pela Faculdade de Medicina da Praia Vermelha, Rio de Janeiro. Enquanto estudava na antiga capital federal, foi interno da Santa Casa de Misericórdia, do Hospital de Pronto Socorro, da “Pro-Matre”, da Policlínica Geral, da Policlínica de Botafogo e do Serviço de Crianças de São Cristóvão.
Logo após sua formatura, prestou concurso para médico da Marinha de Guerra, sendo aprovado. Vindo passar férias em sua terra natal, preferiu a paz, ao lado de sua Marinha, com quem se casou em 1931. Com o correr dos anos, o nome de Dr. Mesquita tornou-se uma legenda em Boa Esperança, Guapé, Ilicínea, Coqueiral, Campo do Meio e Cristais, locais que percorreu no lombo do cavalo ou a bordo de sua “baratinha” Ford 1929. Médico dos pobres, recebeu em vida, com merecimento, os títulos de sócio benemérito da Sociedade São Vicente de Paulo e do S.O.S – Serviço de Obras Sociais de Boa Esperança. Como bom mineiro, tinha seu “gostinho” pela política, tendo sido vereador, presidente da Câmara e vice-prefeito de Boa Esperança e membro destacado da UDN – União Democrática Nacional. Era amigo íntimo de Milton Campos, com quem mantinha correspondência freqüente e a quem sempre visitava quando ia a Belo Horizonte.
Até os 79 anos de idade, Dr. Gigico, como era conhecido, continuou atendendo a seus clientes no consultório na rua Direita, na Santa Casa, da qual foi provedor por muitos anos, em casebres humildes ou à beira da estrada da sua fazendinha.
No dia 24 de dezembro de 1988, aos 85 anos de idade, recebeu das mãos do prefeito José Lourenço e do vereador Antônio Maia a medalha “José Alves de Figueiredo”, comenda mais alta do município de Boa Esperança. Ao morrer, em 9 de março de 1989, deixou um grande vazio em sua família, na sociedade local. A Prefeitura Municipal de Boa Esperança, após sua morte, prestou-lhe justa homenagem, dando seu nome à praça onde se localiza o Fórum da Comarca.
Fonte: Ricardo A. Malheiros Fiúza, in trechos do texto ‘Dr.José Mesquita Neves – O centenário de um grande médico’, publicado no Jornal local – A Vanguarda, 07/12/2003, p. 02.

 

 

 

 

Read 17956 times